Recentemente recebi um email vindo do formulário de contato do meu antigo site www.orgonite.com.br (domínio já vendido), onde a pessoa me perguntava o porque de eu não atualizar as informações do site a algum tempo.

De fato eu fui um entusiasta dos orgonites, até ministrei oficinas para confecção dos mesmo, mas faz algum tempo que venho ponderando seu uso.

Vou compartilhar aqui com vocês a minha resposta a este email (texto adaptado)…

Tenho uma caminhada, desde pequeno onde mal sabia ler eu já brincava com um pequeno pêndulo fazendo meus primeiros experimentos na radiestesia. Hoje ela está incorporada no meu dia a dia e inclusive ministro cursos nesta área. Através dela eu pude observar alguns fenômenos muito particulares relacionados aos orgonites… todo material que se tem disponível sobre esta ferramenta é oriunda dos experimentos de wilhelm reich e mais recentemente do casal Don e Carol Croft e a partir daí esse instrumento meio que virou uma coqueluche esotérica…

Quando você coloca um determinado cristal dentro do orgonite, você está ativando-o, estimulando-o e potencializando-o de forma permanente e  constante – não há como desligá-lo. A não ser que você quebre o orgonite e retire o cristal lá de dentro, este orgonite estará exercendo uma influência vibracional constante não só sobre o ambiente em geral, mas também sobre seu sistema de corpos sutis em particular. Teve um caso específico que pude observar, que uma pessoa começou a “broxar” com sua esposa depois que colocou um orgonite com cristais de quartzo no seu quarto. Levou tempo para essa pessoa se dar conta que essa condição fisiológica estava diretamente relacionada com as influências do orgonite. Em determinado dia ele sentiu vontade de doar este mesmo orgonite… a partir deste momento sua virilidade voltou. Em nossas observações chegamos à conclusão que o cristal de quartzo exercia nesta pessoa em particular um efeito tranquilizante, meditativo… Só que há momentos em que precisamos estar ativos, alertas e em estado de plena vigília.

Observo hoje um uso indiscriminado dos orgonites, mas há poucas observações e experiências a respeito destes aparatos. Sua intenção é atuar na ionização negativa do ambiente, e “limpar” o orgone negativo e etc… mas precisamos levar em consideração seus efeitos sobre o nosso sistema de corpos sutis em particular e ainda temos muito a aprender a este respeito. Alguns profissionais (SÉRIOS!!) do meio radiestésico defendem que o orgonite, para que possa exercer a ação proposta, que é transformar o orgone morto em orgone saudável, deve possuir pelo menos 3% do volume do ambiente em que ele está. Então, se você tem um pequeno orgonite feito em uma forminha de empada, faça os cálculos… pois é…

Bem… sou um eterno aprendiz, e essas são apenas o resultado de minhas observações até este momento. Não quero que acreditem em tudo que digo, pois estas conclusões são baseadas naquilo que sei até o momento, e não sei tudo (ninguém sabe!!) 😉

Fraternalmente,

Luciano Debastiani