O que o Reiki tem em comum com o Karatê?

Além do fato de ambos terem a mesma origem japonesa, e Mikao Usui (fundador do Reiki) ter sido praticante de artes marciais?

Bem… Quando alguém chega até mim dizendo já ter sido iniciado no Reiki, e eu pergunto em qual sistema, a pessoa normalmente responde: Reiki de Mikao Usui!! Demonstrando certa surpresa na minha pergunta, pois Reiki é Reiki, não é mesmo?

Sim!! A origem do Reiki está em Mikao Usui, pois ele é seu fundador, mas ao longo do tempo, o Reiki foi se desdobrando em diversos estilos, e todo Reikiano e postulante ao Reiki deve ter isso em mente.

E foi para trazer um pouco de luz sobre este tema, que resolvi escrever este texto.

Vamos utilizar o Karatê como exemplo para explicar a existência dos diversos estilos de Reiki, pois muitos Reikianos nem mesmo sabem qual é o seu “estilo”.

Se um praticante de Karatê comentar para um leigo em artes marciais, que pratica tal arte, a pessoa logo fará a associação com aquela luta japonesa que utiliza socos e chutes e que usa kimono branco e cor de faixa de acordo com a sua evolução na arte. Provavelmente vai lembrar do filme Karatê Kid e dos ensinamentos do Senhor Miyagi, e é isso!

Mas se o mesmo praticante de Karatê comentar sobre sua prática com alguém que conhece um pouco mais de artes marciais, este alguém provavelmente irá perguntar: Qual estilo de Karatê você pratica?

Ai a resposta pode ser diversa: Shotokan, Goju-ryu, Wado-ryu, Shorin-ryu, Uechi-ryu, Kyokushin, Budokan dentre inúmeros outros!!

Assim é com o Reiki!

Mikao Usui fundou (alguns usam o termo “decodificou”) o Reiki lá pelos idos dos anos 20 e teve diversos discípulos.

Aqui no Ocidente se desenvolveu uma linhagem que passa por Chujiro Hayashi, discípulo de Usui, que ensinou o Reiki para a Hawayo Takata, que trouxe o Reiki para o Ocidente, realizando um trabalho fenomenal de disseminação aqui, tendo formado diversos professores.

A este “estilo” desenvolvido aqui no Ocidente, Takata denominou de Usui Shiki Ryoho.

Existe uma variação, também ocidental, que se denominou de Reiki Usui Tibetano, criado pelo professor William Lee Rand e que incorpora símbolos, práticas e contribuições deste mestre.

Outros eminentes professores desenvolveram, posteriormente, trabalhos de resgate de técnicas que Hawayo não ensinou, mas que Usui praticava e ensinava, trazendo assim a essência do verdadeiro Reiki, que vai muito além de uma simples técnica de harmonização energética através da imposição de mãos.

Assim se desenvolveram, ao longo do tempo, outros estilos e ramificações, que resgatam a essência e a origem do Reiki, além de assumirem características herdadas de seus sistematizadores.

Alguns destes estilos são:

Komyo Reiki-Do criado e desenvolvido pelo Shihan (mestre) e monje budista Hyakuten Inamoto, cuja essência de sua pratica recai no Reiki como ferramenta para evolução espiritual, visando o Satori (Nirvana, iluminação).

Outra vertente é o Jikiden Reiki, desenvolvido pela Sra. Chiyoko Yamaguchi e seu filho Sr. Tadao Yamaguchi, como uma maneira de apresentar o Reiki em sua forma mais pura.

Já, o Shihan Doi Hiroshi desenvolveu o Gendai Reiki-Ho, que também é um resgate histórico das técnicas tradicionais ensinadas por Usui e que se perderam quando da vinda do Reiki para o Ocidente, adaptado aos novos tempos.

Em nossos cursos, adotamos o Sistema Gendai Reiki-Ho mas em paralelo ensinamos também o Reiki como ele se desenvolveu aqui no Ocidente, para que nossos alunos tenham uma visão abrangente do tema e que possam utilizar o Reiki como um DO… ou seja: um Caminho de evolução e aperfeiçoamento pessoal e espiritual.

Karuna Ki como complemento do Reiki

Através do Karuna Ki, nos tornamos canal da energia compassiva de grandes amigos espirituais.

Eu me refiro aos guias, mentores e amparadores como “amigos espirituais” pois para eles não existe uma relação de hierarquia ou muito menos de que eles são melhores do que a gente.

A prática do Karuna difere um pouco do Reiki.

No Karuna nos tornamos pequenos faróis repetidores da energia da Compaixão, que é permanentemente emanada por esses grandes seres e “amigos espirituais”. Já no Reiki, nos tornamos canais da Energia Universal, e durante uma aplicação nós a qualificamos e a “densificamos” para que possa atuar em prol do próximo.

Portanto, Karuna complementa o Reiki… nos torna um canal mais completo e nos dá ferramentas para que possamos auxiliar de forma mais efetiva, a nós mesmos, e ao nosso semelhante.

Uma das práticas mais bacanas que o Karuna nos proporciona, é a possibilidade de entrar em contato com nossos amigos espirituais, emanando nossa gratidão e energia de compaixão para eles. Assim, os elos espirituais se fortalecem e vamos tomando cada vez mais, a consciência real, de que somos Seres Espirituais vivendo uma experiência material.

Você que já é praticante de Reiki, sintonizado no terceiro nível, já pode vivenciar o Karuna Ki e se tornar um pequeno farol da energia da Compaixão de nossos Amigos Espirituais!

Você não possui disponibilidade para participar de um curso presencial? Troque uma ideia comigo pelo whatsapp (48) 98463-6082, existe a possibilidade de realizar esta formação na modalidade online.

Te espero!!

Mais sobre a Iniciação à Distância no Reiki

Escrevi este texto como uma postagem no Facebook, como uma contribuição ao tema ‘Iniciação à Distância no Reiki’.

Eu raramente entro em discussões no Facebook, mas desta vez resolvi contribuir num dos grupos sobre Reiki, em que um dos participantes perguntou a opinião da galera sobre Iniciação à Distância no Reiki, se existe ou não.

Ai vemos um mar de opiniões, muitos criticando a Iniciação à Distância no Reiki, e outros tantos defendendo e ninguém chegando a conclusão alguma. É como discutir religião, cada um defendendo seu ponto de vista mas ninguém se convertendo para a religião do outro.

Alguns dos argumentos de quem critica Iniciação à Distância no Reiki:

  • É só comércio, fraude! Não existe;
  • O pessoal inventa cada coisa;
  • Apenas uma manobra para sacar dinheiro das pessoas;
  • A tradição deve ser mantida. Sensei Usui não iniciava pessoas à distância;
  • Curso de Reiki tem que ser presencial. Curso à distância não existe;
  • Não existe treinamento e não existe iniciação à distância;
  • Para fazer parte da Associação X só pode com curso presencial;
  • Conheci reikianos nível 2 que fizeram curso à distância, que nem conhecem o choku rei.
  • Iniciação à distância é como batismo sem água;
  • dentre outros…..

E como eu já vivenciei sintonizações presenciais e Iniciação à Distância no Reiki também. Tenho sensibilidade cinestésica (alguns diriam mediunidade…) e ferramentas para avaliar certos fenômenos, resolvi contribuir na discussão. Que fique claro: CONTRIBUIR!

A tradição deve ser mantida. Sensei Usui não iniciava pessoas à distância;

Se formos seguir os ensinamentos originais do Sensei Usui, Reiki nem se chamaria Reiki, pois Usui não denominava assim seu método. Não teríamos a divisão por níveis, como temos hoje devido às contribuição de Chujiro Hayashi, deveríamos ficar por meses meditando na energia de cada um dos símbolos (meditação kotodama) para poder avançar nos estudos. Faríamos todas as práticas, DIARIAMENTE, que fazem do Reiki não apenas um método de harmonização natural, mas um caminho de evolução pessoal e espiritual.

“Conheci pessoas que fizeram curso à distância que nem conhecem o choku rei.”

Isso não é um problema do curso ser à distância… mas um problema de como o conteúdo foi entregue e da dedicação do aluno em aprender!

Se é assim, eu conheci inúmeros reikianos oriundos de classes presenciais “tradicionais”, que não sabem fazer a meditação Gasshô, nunca ouviram falar em Reiji-Ho, nunca realizaram o Hatsurei-Ho e sequer meditaram na energia dos símbolos através das meditações Kotodama.

Conheci diversos praticantes “tradicionais” que defendem a ideia que você é um canal de uma energia divina, e que como tal, não existe a possibilidade de você se “contaminar” com uma informação de baixo tensor vibratório oriunda do seu interagente. Então porque raios Sensei Usui ensinava o Kenyoku?

Muitos daqueles que dizem que a tradição deve ser respeitada, são os mesmo que se intutilam “mestre” quando tradicionalmente o termo adequado é “sensei”.

O Reiki passou sim por adaptações e evoluiu… Está adaptado aos novos tempos! Isso não diminui em nada a sua eficácia, abrangência, poder, etc… muito pelo contrario!!

Taxar de fraude quem “vende” cursos à distância é fazer uma generalização injusta. Dizer que curso e Iniciação à Distância no Reiki é só comércio é esquecer que o curso presencial é comércio também!! E que o Reiki está sendo tratado como um produto!

Bem vindo à sociedade ocidental meu caro…. E qual é o problema em pagar para obter um benefício? Um conhecimento? São trocas que os seres humanos fazem!! Antigamente você limpava o DOJÔ do sensei em troca de um conhecimento. Hoje você dá dinheiro em troca de um conhecimento. Onde isso é errado?

Os mais ligados ao espiritismo vão dizer: “Dai de graça o que de graça recebeste“… sim! Mas você, como professor, não está pedindo dinheiro em troca da “energia reiki”, mas sim pelo tempo que você dedicou aos estudos, aos investimentos que você fez em conhecimento, ao tempo que você dedicou para montar suas apostilas e seu material de estudo… e isso se aplica a qualquer modalidade de treinamento.

O termo “dinheiro” não lhe soa bem quando falamos em Reiki? Sugiro rever suas crenças sobre o dinheiro para que a prosperidade possa se manifestar na sua vida! Pra isso pode praticar o Seikaku Kaizen-Ho! Siiim… o verdadeiro Reiki oferece ferramentas para tratar nossas crenças disfuncionais para que sejamos melhores em todos os aspectos!

Reconheço que existem vários cursos à distância medíocres sim… mas tem um punhado de cursos presenciais tão ou mais medíocres ainda. Sem falar nos Cursos de Reiki misturados com xamanismo, com cristais, com apometria, com angeologia, com cromoterapia, etc… É mais ou menos como se matricular para uma aula de dança de salão, chegar no primeiro dia de aula e o professor começar a te ensinar Axé! E isso tudo é oferecido em cursos presenciais também!! Então a “fraude” acontece independentemente de algo ser presencial ou online, e em ambos os casos o neófito deve ficar atento!

“Há, mas as entidades e escolas internacionais só reconhecem cursos presenciais”.

Sim… entretanto existem as “linhagens livres” que não são ligadas a entidades ou escolas, e o fato de você não ser ligado a uma “entidade” não desqualifica a energia que sai das suas mãos. Conheço inúmeros professores independentes – que fazem um excelente trabalho na formação de novos reikianos! O fato de não serem ligados a uma entidade internacional, em nada diminui suas capacidades como reikianos, sensei, professor… Além disso, eu mesmo sou filiado à entidades internacionais, entretanto o curso que ministro no método à distância, é de linhagem livre.

“Há, mas para fazer parte da Associação X só pode com curso presencial.”

Terapia integrativa/holística (ou dê o nome que quiser dar..), embora seja reconhecida pelo Ministério do Trabalho e da Saúde, e muitas das técnicas até façam parte do Programa Nacional de Terapias Integrativas e Complementares, inclusive o REIKI, não possui uma regulamentação específica… então qualquer um pode se reunir na sua própria “associação” e criar suas próprias regras. Vários dos reikianos que iniciei, não só presencialmente, mas à distância também, tiveram seus certificados reconhecidos para se filiar em alguns sindicatos e federações de terapeutas. Inclusive alguns “sindicatos”, colocam como pré requisito para ingresso, a realização de alguns cursos… como? À Distância!!

“Há, mas como você se sentiria se um médico fosse lhe operar e ele tivesse realizado sua formação à distância?”

Criatura… você como reikiano vai abrir o receptor para aplicar uma energia amorosa e curativa? O Ryoho (Reiki como uma técnica de harmonização natural) é fácil de ser aprendido e fácil de ser aplicado e seu treinamento pode ser realizado através de cursos à distância sim! Em termos de conteúdo, acho que um curso à distância pode ser mais rico que um presencial! Nos presenciais, muitos professores se preocupam mais com a vivência, com a interação, que não sobra tempo para as práticas. Quando você faz um curso à distância (e obviamente, presencial também), pode praticar em casa, com seus familiares. Cobaias não faltarão!!

“Há, mas iniciação (ou sintonização) de reiki à distância é como batismo sem água.”

E desde quando Reiki é religião? Desde quando a sintonização é um “batismo”??? A sintonização (ou iniciação) é um processo que te liga á egrégora do Reiki; que te faz um reikiano. Mesmo sabendo que o Reiki é oriundo do budismo, para ser um reikiano você não precisa abdicar das suas crenças religiosas. Não precisa se “batizar” para ser um reikiano. Eu sei que você vai dizer que o batismo é uma forma de iniciação também…. sim, eu sei, mas o Reiki não é tratado como uma religião, e a sintonização é um singelo procedimento que sintoniza o praticante à egrégora do REIKI. Eu sei que estou sintonizando um novo praticante não apenas em cursos presenciais, mas à distância também, porque sinto a egrégora, sinto a energia, sinto aquele magnetismo e um imenso sentimento de gratidão se manifestando no meu corpo todo. Não há limites, muito menos distância!!!!

Novamente: Você não precisa abdicar de suas crenças religiosas para se tornar um reikiano! Já vi reikianos espíritas, cristãos, evangélicos, umbandistas, budistas.

Embora meu foco sejam os cursos presenciais, porque esta é minha preferência, não posso me furtar a trazer a minha opinião sobre Iniciação à Distância no Reiki e dizer que conheço inúmeras pessoas que foram sintonizadas à distância (não só por mim, mas por outros professores!) e que fazem um ótimo trabalho como reikianos.

A energia flui, a sintonização acontece e o Reikiano é sintonizado à egrégora sim! Claro que depende de cada sensei, de cada professor, mas eu tenho depoimentos de pessoas que tiveram experiências únicas durante sintonizações à distância. E são e agem como verdadeiros Reikianos!

Quer ver um vídeo que fiz sobre o assunto? AQUI VAI O LINK para um vídeo, onde falo um pouco mais sobre esse tema, inclusive com um artigo que complementa a minha opinião sobre Iniciação à Distância no Reiki.

Johnny De’ Carli é um dos maiores divulgadores do REIKI no Brasil e no Mundo, e… surpreeesa….. veja a opinião dele sobre a iniciação à distância:

Há… você vai desejar boa sorte na venda dos meus cursos à distância? E eu te desejo boa sorte nos seus cursos presenciais… qual é a diferença? Acho que a diferença é que você está sendo irônico, e eu sincero.

Meu fraterno abraço!

Luciano Debastiani

Os Mitos da Iniciação à Distância no Reiki

[et_pb_section admin_label=”section”]
[et_pb_row admin_label=”row”]
[et_pb_column type=”4_4″]
[et_pb_text admin_label=”Text”]

Iniciação à Distância no Reiki. Existe? Funciona? Vamos falar deste tema que hoje é tratado como um tabu ou até mesmo veementemente rechaçado pelos praticantes da velha guarda sem que muitos argumentos convincentes sejam dados.

Mas Mikao Usui não ensinou, então não existe. Nem pensar. Absurdo. A técnica foi criada desta forma e não pode ser alterada. Quem fez à distância tem que refazer novamente com um “mestre”…

São inúmeros os posicionamentos a respeito dessa prática. Aqueles que fizeram sua formação à distância não falam sobre o assunto, com receio de que seu “reiki” seja desvalorizado, então ficam quietinhos. Eu mesmo conheço inúmeros praticantes que foram sintonizados à distância e hoje são excelentes reikianos a serviço do Amor e da Cura da Humanidade, mas poucos sabem que o seu aprendizado se deu em classes online.

Em 2012 eu escrevi um artigo abordando o assunto, que até circulou em alguns fóruns que discutiam o tema, mas com o tempo ficou esquecido nas prateleiras empoeiradas e pouco visitadas do meu antigo blog, mas hoje quero ressuscitar este tema e dar voz aos milhares de Reikianos sintonizados em classes online e trazer um pouco de luz àqueles que não encontram um curso acessível na sua cidade mas que ainda tem aquele receio de participar de uma classe online e realizar a sua sintonização à distância.

A base do texto que segue foi a resposta a um questionamento realizada por uma aluna minha, justamente sobre o tema “Iniciação à Distância no Reiki”, onde ela compartilhou comigo um enunciado retirado de um FAQ (perguntas e respostas) de um conhecido site sobre Reiki.

A Resposta deste site, à pergunta sobre iniciação à distância diz o seguinte:

Existe iniciação à distância? Não. A iniciação só existe presencial, individual, com o toque físico no aluno pelo mestre credenciado. A técnica foi criada desta forma e não pode ser modificada. Se você foi vítima da falsa promessa de iniciação à distância procure um mestre imediatamente para lhe iniciar. No momento da iniciação o mestre abre a aura do aluno, coloca os símbolos sagrados e sela para sempre. Todos os fios energéticos dos sete corpos do aluno são alterados pela iniciação. Só confunde isso quem não é mestre. E há muitos falsos mestres vendendo certificados. Temos uma lista deles, inclusive de sites, no Brasil e no exterior. Os falsos mestres têm vida curta e a prosperidade é cortada com o tempo.

E o texto que segue, foi a minha resposta à esta minha aluna. Obviamente adaptei o conteúdo para este artigo, que é uma republicação do texto que foi originalmente publicado no meu antigo blog em 2012.

Afinal, Existe ou não Iniciação à Distância no Reiki?

Sinceramente? Não me preocupa que alguém mantenha uma lista negra de falsos “mestres” que vendem certificados por que são embalados por um desejo de enriquecer às custas da ignorância alheia. No tempo que eu estou dedicando aos meus queridos alunos sintonizados em classes não presenciais, eu poderia estar focado em outras atividades que também desenvolvo e que me trazem muito mais retorno financeiro.

Na época em que este artigo foi originalmente escrito, em 2012, eu mantinha alguns alunos que optaram por realizar a iniciação à distância comigo. Depois, optei por me dedicar somente aos cursos presenciais, mas como você já deve estar imaginando, isso está prestes a mudar!

A prosperidade flui de muitas formas, e certamente nunca faltará àquele que confia e trabalha sinceramente, e se preocupa, dia após dia, a ser um melhor canal da Vontade Divina e acima de tudo, àquele que excerce a sua VERDADEIRA VONTADE!

Professores de Reiki, e reikianos espalhados pelo mundo, embalados pelo sentimento de amor pela humanidade, e que evoluem, ou que adotam técnicas que evoluem, (Reiki, ou qualquer outra…) não serão penalizados com o corte da sua prosperidade ou de qualquer outra forma. O que importa é a INTENÇÃO de auxiliar, de evoluir, de trazer algo de bom para o próximo e ser um agente de TRANSFORMAÇÃO.

Eu compreendo sim que a Lei e a Justiça Divina atuam contra aqueles que atentam contra o livre arbítrio do seu próximo, prejudicando-o… e aqui ninguém está prejudicando ninguém, muito pelo contrário.

Em minha senda como professor de Reiki, tive a oportunidade de sintonizar CENTENAS de reikianos em cursos presenciais, e alguns destes foram em cursos à distância, e não só eu posso sentir, mas o praticante mais sensível também, que em ambos os casos, a iniciação é exatamente a mesma! É lindo ver os comentários a respeito das sensações percebidas durante uma iniciação não presencial. Claro, nas presenciais também 😉

É uma imensa satisfação ver aquele aluno ou aluna sintonizado, seja presencialmente ou não presencialmente, fazendo do Reiki um instrumento de Amor em prol do seu semelhante. O fato do aluno ter recebido uma sintonização não presencial, não faz dele um pior ou menos preparado reikiano. O que determina a qualidade da energia que flui através de cada Reikiano, são suas próprias atitudes, sua entrega para com a energia, sua dedicação ao aprendizado e sua intenção amorosa e compassiva em ser, cada vez mais, um melhor canal da Vontade Divina.

Claro que alguns alunos preferem o “calor” dos cursos presenciais, o olho no olho, as práticas que realizamos em conjunto durante o curso, as relações de amizade que se constróem durante uma formação presencial. Tirando estes aspectos, que se destacam em qualquer curso ou treinamento presencial e não só os ligados ao Reiki e afins, uma formação à distância não deixa nada a desejar.

Dizer que uma sintonização de Reiki não pode ser feita à distância…

…é limitar o Reiki, pois para a energia não há limite, não há distância… a sensação de linearidade de tempo, espaço ou distância, nós temos aqui nesta dimensão física. O Reiki extrapola os limites da tridimensionalidade e atua em dimensões onde não há os mesmos limites que temos aqui. Todo reikiano de nível 2, que aprendeu a enviar o Reiki ao passado, ao futuro ou à distância, sabe vivenciar e perceber o quão ilimitado é o Reiki.

É o Mestre que “abre” a Aura

Dizer que é o mestre que abre a aura, coloca os símbolos sagrados e sela para sempre é presunção! Não é o “mestre” que faz isso… ele apenas é um CANAL para que isso seja feito pelos VERDADEIROS MESTRES!!! (as aspas quando me refiro aos “mestres”, com “m” minúsculo, é proposital)

A técnica deve permanecer a mesma?

O argumento de que a técnica deve permanecer a mesma de quando foi criada, é no mínimo estapafúrdia. Algo não pode evoluir? Deve permanecer tal e qual seu idealizador a criou? Mikao Usui, lá no início do século XX, tendo à disposição os recursos tecnológicos que dispomos hoje, não iria querer extrapolar os limites físicos do dojô? Em minhas meditações, quando a imagem de Mikao Usui se forma em minha tela mental, eu posso perceber um suave sorriso em suas feições, como se fosse uma aprovação a esta minha elucubração.

Embora hoje, tenhamos realizado alguns resgates históricos que nos aproximam das técnicas originais que Mikao Usui ensinava, a bem da verdade, nós não temos acesso a todos os meandros e aspectos da pedagogia e das práticas aplicadas por Usui Sensei no ensinamento do Reiki. O próprio nome “Reiki” é uma evolução, pois nem por este nome Usui Sensei chamava a sua técnica.

As Coisas Evoluem!

O que seria da medicina se ela aplicasse hoje os mesmos conhecimentos e princípios de quando ela foi desenvolvida, lá nos primórdios? O que seria da humanidade se as coisas não evoluíssem? A apometria é uma excelente técnica desenvolvida pelo Dr. Lacerda, em Porto Alegre, nos anos 60. Hoje, com os conhecimentos que temos disponível, a apometria evoluiu, e continua auxiliando centenas de pessoas. Eu poderia citar inúmeros outros exemplos, mas o que quero reforçar aqui, é que as coisas evoluem, e com o Reiki não é diferente.

Charles Babbage (o primeiro cara a pensar em um conceito de computador programável) está rolando no túmulo porque hoje usamos laptops que cabem no bolso, porque evoluiram? Se bobear ele está reencarnado em algum cientista da Intel e ajudando a desenvolver os super micro-processadores que estão nos nossos laptops e smartphones de hoje.

E quanto ao “mestre”?

O termo “mestre” é um pavonismo criado por nós, ocidentais. Quando o Reiki veio para o ocidente, foi na Europa que o termo foi traduzido do japonês como “master”, mas originalmente, o professor de Reiki é chamado de SENSEI… apenas um professor, um facilitador. Em uma tradução livre, Sensei é aquele que chegou antes, e está apto a orientar aqueles que chegam depois. Não alguém superior que atingiu um alto nível de evolução consciencial.

Quem adota o termo mestre, é que não compreende o seu real significado. É apenas por uma questão prática, que se convencionou chamar de “mestre”, aqui no ocidente, alguém que ensina e sintoniza outras pessoas em Reiki.

Honestamente, quem se intitula, ou gosta de se intitular um “mestre” e se regozija em se colcar em um pedestal formado pelas gosmas do seu próprio ego e pelo sentimento de se sentir superior aos outros, pra mim não é nada!

Nós somos insignificantes perto da majestade, da magnificência, da Humanidade, da paciência, da nobreza, do real sentimento de compaixão, do poder e de inúmeros outros adjetivos que definem um MESTRE de verdade!

Um Mestre de verdade, não se diz como tal. Ele simplesmente se fundamenta em quatro princípios: SABER, OUSAR, QUERER e CALAR… e um certificado que diz que você é um “mestre” não vai colocar você nessa condição… há muito mais a ser feito!

E para concluir…

O sentimento que me anima é sincero! É de continuar auxiliando o próximo; de contribuir um pouco para que as pessoas tenham condições de crescer e evoluir por conta própria. É ser um agente de TRANSFORMAÇÃO na vida das pessoas!

Assim como eu confio no meu professor, que me ensinou a iniciar novos Reikianos à distância, porque o professor que ensinou a ele foi sincero e todos nós percebemos que o Reiki pode ser disseminado, independentemente dos obstáculos e barreiras físicas de tempo e de espaço, porque para o espírito e para a energia não existe limite! E isso criou uma forte egrégora que sustenta e mantém o iniciador, quando está SINCERAMENTE iniciando outro reikiano, seja presencialmente ou à distância.

Não existe distância quando o sentimento é real e verdadeiro…

Quer aprender o REIKI Tradicional Japonês? Acesse nosso site www.reikido.com.br e consulte nossa agenda. Em breve, estamos abrindo oportunidade para participação em nosso curso de Formação em Reiki Tradicional, à distância!

Um abraço de muita LUZ!

Luciano Debastiani


Alguns depoimentos de nossos alunos, dos cursos ministrados na modalidade à distância


[/et_pb_text]
[/et_pb_column]
[/et_pb_row]
[/et_pb_section]

Se você é Reikiano, precisa conhecer os Pilares do REIKI [Animação Interativa]…

O Reiki Tradicional Japonês aborda três pilares em que se baseiam esta prática, e que nós reforçamos bastante em nossos cursos.

Para você, que já é reikiano, ou mesmo que você não seja um praticante desta técnica, mas apenas tenha interesse em conhecer mais a respeito, eu preparei uma animação interativa, em que falo sobre cada um destes pilares.

Quer conhecer? Então clique no link para ver a animação:

https://lucianodebastiani.com/anim/3pilares/

Meu fraterno abraço,

Luciano Debastiani

A melhor dica que eu posso dar a você agora sobre REIKI [Vídeo]

Quando as pessoas entram em contato comigo solicitando informações sobre nossos cursos e seminários de Reiki, um dos temas recorrentes é explicar a amplitude deste método como uma via de mão dupla, onde abordamos não apenas o “RYOHO” que seria o Reiki como uma arte de harmonização natural através da imposição das mãos, mas também o Reiki como um Método de Desenvolvimento Pessoal e Evolução Espiritual & Consciencial.
No vídeo abaixo eu falo um pouco sobre estes aspectos, dando a você a melhor dica que eu posso dar agora sobre REIKI 😉

Meu fraterno abraço,

Luciano Debastiani

Os Sete Chakras [Animação Interativa]

Confira esta animação interativa onde abordamos uma breve introdução e as principais características de cada um dos Sete Chakras.

Sobre os Sete Chakras Principais

A palavra chakra vem do sânscrito e significa roda, disco, centro. Nesta forma eles são percebidos por videntes como vórtices (redemoinhos) de energia vital. São como espirais girando em alta velocidade, vibrando em pontos vitais de nosso corpo.

Os chakras são pontos de intersecção entre vários planos. É através deles que nosso corpo etérico se manifesta mais intensamente no corpo físico.

São centros energéticos existentes no corpo etérico de um ser vivo. Esses centros transportam e manipulam correntes eletromagnéticas ou etéricas (energia vital Prana) que se manifestam por meio no plano etérico. Sua função primordial é captar o REI – A Energia Universal – metabolizá-la, alimentar nossa AURA, e emitir energia ao exterior.

São vistos no ocidente como pequenos cones, vórtices giratórios em movimento constante. Funcionam como veículos de conexão energética, ligando o corpo físico aos corpos superiores, captando e expulsando energia. Num ser humano comum, possuem um diâmetro de 5 a 10 cm. Possuem diversas funções e é através deles que perdemos energias quando em sofrimento físico ou emocional. Também podem ser considerados veículos através dos quais a energia REIKI passa dos planos superiores para o físico.

Suas Mãos Aquecem Quando Você Aplica Reiki?

A inspiração para escrever este texto veio do site Reiki Awakening, de Alice Langholt, que faz um trabalho muito bonito na divulgação do Reiki.

Alice comenta sobre o fato das mãos do Reikiano aquecerem ou não durante uma aplicação, e se isso é importante.

Esta é uma questão muito frequente nos cursos, e muitos reikianos, principalmente novos, preocupam-se com isso, pois “ouviram falar” que o aquecimento das mãos é um indicador de que a energia está de fato fluindo.

É comum as mãos aquecerem durante uma aplicação de Reiki, mas não pode ser levado como um indicador de fluidez da energia. Isto poderia levar o reikiano a pensar que a energia não flui se a sua mão não aquece, e isso não é verdade.

Partimos do princípio básico de que você está devidamente sintonizado no Reiki… então a energia certamente fluirá, independentemente das suas mãos aquecerem ou não.

Conheço uma pessoa que, no momento da aplicação do Reiki, as veias das mãos e antebraços “saltam”! É impressionante! É parar de aplicar o Reiki, suas veias voltam ao normal…

Eu comecei a trabalhar com o Reiki logo que fui sintonizado no Nível 1, e nas primeiras aplicações, lembro-me que eu suava muito. Parecia que estava fazendo esteira. Precisava manter uma toalha de rosto próxima à maca, para me secar de tempos em tempos. E isso independia do clima: podia estar um frio de rachar, estava eu lá suando feito um maratonista. Com o tempo este sintoma desapareceu.

As sensações da energia fluindo mudam de pessoa para pessoa, e também mudam de acordo com a necessidade do receptor. Houveram casos de receber pessoas esvanecidas energeticamente, e as minhas mãos chegarem a doer! Em outros casos nem pude perceber sequer qualquer sensação.

É importante manter um diálogo após a aplicação, desta forma você poderá receber um feedback e monitorar a evolução do tratamento ao longo do tempo.

Particularmente, eu utilizo em conjunto a radiestesia para avaliar a taxa vibratória do indivíduo… faço a medição antes e depois da aplicação, e também ao longo do tempo durante o tratamento. Desta forma tenho um indicador bastante preciso da sua evolução.

Se as suas mãos aquecem, vibram ou esfriam… isso não é importante. Com o tempo e à medida que você vai adquirindo mais experiência, você vai perceber de que forma a energia se comunica com você.

Experiência e observação irão ajudar você a desenvolver a sua percepção.

 

E você: o que percebe durante uma aplicação de Reiki? Compartilhe suas experiências nos comentários abaixo.

 

Você anda Angustiado?

Hoje eu querocomentar especificamente sobre a angústia que sentimos frente à determinadas situações em particular ou até sobre a vida em geral.

Mesmo estando em um caminho espiritual, de desenvolvimento e entrega, a angústia assalta-nos fazendo-nos crer que podíamos, ser, fazer ou ter mais do que aquilo que aparentamos.

Para iniciar este texto, acessei o Dr. Google, e encontrei na Wikipédia um conceito para o termo “angústia” que diz o seguinte:

Chamamos de angústia a forte sensação psicológica, caracterizada por “abafamento”, insegurança, falta de humor, ressentimento e dor. (…) A angústia é também uma emoção que precede algo (um acontecimento,uma ocasião, circunstância. (…)

Somos humanos, e como tal sujeitos às desventuras de viver uma vida humana. Por mais “espiritualizados”, evoluídos ou conscientes que sejamos, é humanamente impossível permanecermos à mercê dos assuntos mundanos e mais ainda, das atitudes de pessoas que não estão nem ai para o seu próximo.

Mas eu quero ir um pouco mais a fundo na questão da angústia, e me direcionar àquelas pessoas que, mesmo estando na sua caminhada espiritual, estudando e fazendo aquilo que acreditam que seja importante para o seu desenvolvimento, evolução e abertura de conscência, mesmo assim sentem-se angustiadas, como se faltasse algo; como se não fosse suficiente o tempo que dedicam aos estudos, à meditação… à entrega… como se quisessem entrar, conscientemente, em contato com níveis de consciêcia superiores mas não conseguem, reforçando ainda mais o sentimento de angústia.

Eu mesmo me sinto assim em determinados momentos, e tenho que admitir, que esse sentimento de angústia, nada mais é do que um sentimento do EGO. Falta de humildade! Orgulho! É querer ser mais do que realmente nós somos!

Àqueles que se entregam à sua senda espiritual, ao seu caminho, que fazem o que acreditam ser verdadeiro para a sua evolução e abertura de consciência, mas mesmo assim sentem-se frustradas, angustiadas por não estarem fazendo tudo que poderiam, é porque não estão sendo humildes, ou estão se achando mais do que realmente são.

O que estas pessoas deveriam fazer: entregar e confiar. Trabalhar sua humildade e amansar o seu orgulho.

Gosto de me lembrar sempre dos dizeres da minha amiga Ana, instrutora de Hatha Yoga que diz o seguinte: “Tudo está como deveria estar“.

A verdade é que nós nunca sabemos a quantas anda o nosso desenvolvimento. Nós não temos controle e não temos como medir o nosso grau de evolução. As coisas divinas não são medidas por parâmetros humanos, e o que devemos fazer, é simplesmente entregar e confiar.

É tudo tão simples, nós é que complicamos.

Abraço Forte!!

 

Luciano Felipe Debastiani